Em Vila Velha, no Espírito Santo, o Projeto Recriar, que funciona exclusivamente por meio de doações e voluntários, e que tem como objetivo levar “um pouco de alento para comunidades menos favorecidas”, passa por um momento difícil por conta da pandemia.

A região foi classificada como de alto risco de contágio pelo novo coronavírus e, assim, o projeto terá de suspender suas atividades. Cerca de 500 famílias são atendidas pela iniciativa, onde realizam aulas de judô, balé, zumba e fazem suas refeições.

Além disso, durante março, por conta de fortes chuvas na cidade, o Recriar sofreu grandes perdas na sua infraestrutura.

Márcio Ferreira, Guarda Municipal de Vila Velha, aluno do Curso Superior de Tecnologia em Segurança Pública Municipal da FADISMA e voluntário do Recriar comentou sobre a importância do projeto em entrevista ao ESTV: “A gente quer colocar no coração dessas crianças uma perspectiva de futuro, para que lá na frente elas sejam pessoas de bem”.

Muitas das crianças atendidas dependem dos alimentos fornecidos pelo Projeto. Atualmente, até as panelas utilizadas para cozinhar as refeições são emprestadas e elas foram pedidas de volta pelo dono.

Como forma de continuar auxiliando as famílias, o Projeto Recriar pretende seguir com a produção de marmitas que serão entregues aos que necessitarem, mas vão precisar de ajuda.

Para isso, eles estão aceitando doações de todo o tipo, e é possível ajudar por meio do PicPay ou por depósito bancário. No Instagram do Projeto, acessível clicando aqui, é possível encontrar mais informações.

Confira a reportagem completa do ESTV abaixo: